O mercado de trabalho no Brasil está atravessando um momento muito difícil e com as dificuldades o inglês se tornou um diferencial tão importante que as empresas exigem, em muitas ocasiões, o curriculum vitae (CV) traduzido para o idioma. A redação deve, não só, ser feita com frases sucintas e sem erros ortográficos, como deve ter uma estrutura em consonância com as diretrizes de cada mercado. A ABA English elaborou uma lista com os 10 mandamentos para escrever um currículo perfeito em inglês, confira:

Evite a tradução literal do CV brasileiro

Traduzir do português para o inglês de forma literal prova que o seu nível de conhecimentodo idioma é mínimo, o que pode ser determinante na hora de selecionarem ou não o seu CV.

Não é necessário incluir fotografia

A menos que a oferta exija expressamente uma fotografia do candidato, em regra geral os CVs no Reino Unido (UK) e nos Estados Unidos (US) não incluem foto.

Não acrescente dados pessoais (apenas de contato)

Em determinados mercados, especialmente no americano e no britânico, os CVs não incluem nem a data de nascimento, nem o estado civil do candidato, a fim de respeitar a legislação contra a discriminação. O que não pode faltar é um contato de celular (cell phone – US; mobile phone – UK) nem o endereço de e-mail.

Utilize uma linguagem apropriada

Recorra a verbos de ação ao redigir o seu CV, para maior profissionalismo e rigor (analyzed, coordinated, led, organized, supervized), evitando a repetição do pronome pessoal (eu) e alternando o início dos parágrafos com o verbo no gerúndio ou no passado particípio.

 Comece com um resumo

No início do seu CV acrescente um parágrafo de três a cinco linhas que descreva o seu perfil profissional e experiência anterior. Este parágrafo inicial será a sua carta de apresentação.

Experiência e formação em ordem decrescente

No Reino Unido e nos Estados Unidos (UK e US), tanto a experiência como a formação devem ser enumeradas de forma decrescente. Ou seja, deve começar pelas experiências ou funções mais recentes até chegar às mais antigas.

Mantenha uma estrutura

A ordem do CV também é levada em consideração. Não se esqueça de que este se trata do primeiro contato visual da empresa com o candidato. Assim, divida o seu CV em seis partes: Dados pessoais (Personal details); Resumo (Summary); Experiência profissional (Work experience); Formação acadêmica (Education); Idiomas e outras competências (Language & Professional skills); e Outras informações e interesses (Other information & Interests).  Opcionalmente, também pode incluir um parágrafo com as Principais Concretizações (Key Achievements), de forma a complementar o Resumo (Summary).

Nunca inclua mentiras ou invente competências

Em muitas ocasiões, os CVs incluem experiências profissionais, títulos ou níveis de conhecimento de idiomas elevados. Mentir quanto ao grau de domínio do inglês, dizendo que é fluente, quando tal não é verdade, é uma má estratégia, pois através de uma chamada telefônica com o responsável dos Recursos Humanos da empresa ele irá detectar o seu verdadeiro nível.

Limite-se seu CV em no máximo duas páginas

A extensão máxima de um CV em inglês deve ser de duas páginas. Uma boa forma de sintetizar o texto é incluir apenas as experiências e os cursos que valorizem a candidatura a que se propõe.

Sempre revise antes de enviar

Antes de enviar o seu CV, verifique-o uma última vez, lendo tudo com muito cuidado, mesmo que já o tenha feito algumas vezes antes. Caso tenha dúvidas com alguma tradução em inglês, peça a um especialista da língua para rever o seu CV. Não se esqueça que pequenas falhas fazem toda a diferença.