Especialista revela as diferenças entre os nomes mais populares para não ter mais dúvidas no salão

A cada dia surgem mais opções de tratamentos para deixar os cabelos bonitos e saudáveis, e muitas vezes a infinidade de nomes acaba por gerar confusão na hora de escolher o melhor para você. Para te ajudar a acertar no pedido,  montamos o dicionário básico com os termos mais famosos.

 

HIDRATAÇÃO 

Hidratação repara danos superficiais e deve ser realizada em todos os cabelos. Foto: Jupiterimages/Pixland

HIDRATAÇÃO REPARA DANOS SUPERFICIAIS E DEVE SER REALIZADA EM TODOS OS CABELOS. FOTO: JUPITERIMAGES/PIXLAND

A hidratação é o procedimento mais clássico nos salões, mas, afinal, quando ele deve ser realizado? “ELA É RECOMENDADA PARA TODOS OS TIPOS DE CABELO, INCLUSIVE OS SEM QUÍMICAS E BEM CUIDADOS, porque eles recebem agentes poluentes que ressecam um pouco a fibra capilar. Ela recupera apenas o dano superficial e dá mais brilho. Para quem tem fios virgens é aconselhado fazer uma máscara nutritiva a cada 15 dias, e para os com química a frequência deve ser semanal”, explica a hairstylist CINDINHA LINS, do salão Studio Lins.

RECONSTRUÇÃO 

Esse tipo de procedimento é considerado mais completo, e atinge um segundo grau de reparação: “Ela tem uma penetração maior, passando pela cutícula e chegando ao córtex do fio para nutrir melhor. Como tem uma proporção mais rica de aminoácidos e é considerado um tratamento profissional, É INDICADO PARA RECUPERAR O CABELO POROSO PARA EVITAR QUEBRAS”.

Apesar de eficiente, ele não deve ser utilizado indiscriminadamente, porque o excesso também traz prejuízos. “O PROFISSIONAL DEVE AVALIAR BEM PARA VER POR QUANTO TEMPO VOCÊ DEVERÁ USAR O RECONSTRUTOR para ter novamente os lipídios nas madeixas. Se for realizado sem critério pode acontecer quebra por excesso de queratina e massa”, alerta.

CAUTERIZAÇÃO 

Cauterização é indicada para fios extremamente ressecados e com fissuras. Foto: progressman/iStock

CAUTERIZAÇÃO É INDICADA PARA FIOS EXTREMAMENTE RESSECADOS E COM FISSURAS. FOTO: PROGRESSMAN/ISTOCK

Seus fios estão com as cutículas abrindo? Então esse é o momento de apostar na cauterização. “É UM PRODUTO PARA OS CABELOS EXTREMAMENTE RESSECADOS E QUE TEVE ABERTURA DE FISSURAS NO FIO. Ele será aplicado e depois uma ferramenta de calor será utilizada para que ele seja levado para o fundo da cutícula e para que sele o que está aberto. É necessário avaliar a necessidade e adequar o tempo a ela”, aponta.

BOTOX 

É comum ver o botox sendo vendido como um tratamento para deixar os cabelos mais brilhantes e com menos volume, mas não se engane: ele é uma química. “NADA MAIS É QUE UM ALISAMENTO, OU UMA PROGRESSIVA, MAIS SUAVE, que vai mudar a estrutura do fio. Ele vai deixar o aspecto bonito, mas é apenas uma aparência cosmética, não vai ser uma mudança na saúde. É a mesma lógica do botox dermatológico, ele vai lá e estica a fibra”, adverte.

PLÁSTICA DE FIOS

Assim como o botox, a plástica de fios é apenas paliativa e, portanto, considerada química e não tratamento: “VAI ALISAR E TRANSFORMAR A ESTRUTURA, SEM RECUPERAR QUALQUER DANO. Muitos profissionais vendem como se ele tratasse a fibra por marketing, já que o efeito é bem mais suave que o de uma progressiva. A cliente vê o resultado, percebe que está com menos volume, e acaba achando que não foi uma química”.

CIMENTO CAPILAR 

Age de forma muito similar à cauterização, fechando as fissuras abertas por conta de procedimentos químicos e a falta de cuidados. “É UTILIZADA UMA PROTEÍNA PARA CICATRIZAR ESSA FIBRA. É um tratamento forte, então tem que ter bastante certeza de que você realmente precisa e tem tantos danos”, completa.