Encarar a situação como uma oportunidade de crescimento e não por no lugar de vítima é fundamental

Boa parte das separações envolve também uma mudança nas finanças dos ex-cônjuges. Se esse é o seu caso, e você dependia total ou parcialmente da renda do antigo parceiro, VEJA DICAS PARA CONQUISTAR SUA INDEPENDÊNCIA FINANCEIRA.

O primeiro passo é decidir como você vai olhar para essa situação. “VEJA COMO UMA OPORTUNIDADE DE CRESCIMENTO PESSOAL. Você vai precisar se esforçar bastante, mas mais adiante passa a dor e você fica mais segura em todas as áreas da vida, inclusive a financeira”, afirma o CONSULTOR FINANCEIRO JULIO SANTOS, da Julio Santos Consultoria Financeira e autor do livro “Harmonia financeira para casais”. Ele dá as dicas abaixo:

Foto: gpointstudio/istock

CONHEÇA SEUS GASTOS

Para administrar o dinheiro, o primeiro passo fundamental é saber por onde ele entra e como sai. “Você deve imediatamente fazer uma organização financeira: FIQUE A PAR DE TODOS OS SEUS NÚMEROS, entrada e saídas, despesas, PARA ENXERGAR COMO ESTÁ O PADRÃO DE VIDA ATUAL. Isso inclui tudo mesmo, inclusive os gastos com os menores detalhes, que podem ir de uma mensalidade até os 10% do garçom, por exemplo. 98% das pessoas não sabem o quanto gastam por mês!”, diz o profissional.

CORTE O QUE NÃO PRECISA

Uma vez que você já arrasou nessa organização financeira, comece a ver o que pode ser excluído: “o primeiro passo é TIRAR O QUE É SUPÉRFLUO, aquilo que realmente é só um capricho e que você pode viver perfeitamente sem. Em seguida EXCLUA O QUE É DESNECESSÁRIO, como os canais extras da TV a cabo, por exemplo, e até o necessário é preciso ajustar, como rever o gasto de luz, água e gás e dar uma revisada na lista do supermercado, que geralmente tem uns extras”, lembra Julio.

Foto: AndreyPopov/istock

APRENDA A POUPAR

Quando se casa, ninguém o faz pensando em separar, logo, pode até ser interpretado como um “imprevisto”. Para se prevenir desse e de outros, “COMECE A DESENVOLVER O HÁBITO DE CRIAR RESERVA FINANCEIRA. Poupe um pouquinho todo mês a partir do seu orçamento, porque em algum momento ele se transformará em uma boa quantia E VOCÊ ESTARÁ AMPARADA PARA OUTROS IMPREVISTOS. Hoje, não passa de 10% o número de brasileiros que têm isso de maneira sólida”, diz o especialista.

QUALIFIQUE-SE

Se você não trabalha, e agora vai ser necessário, “é importante procurar uma atividade profissional para recuperar seu poder de orçamento. Para que isso aconteça, dentro do possível, TENTE MELHORAR SEU NÍVEL PROFISSIONAL, com cursos, se informando sobre a área escolhida, fazendo contatos, etc.”, recomenda o expert. Quer mais uma ajudinha? Clique aqui para saber como buscar vagas de emprego sem precisar pagar um site especializado.

Foto: Creatas-Images/istock

BUSQUE AJUDA PROFISSIONAL

Não tente resolver tudo sozinha se você não se sente apta ou tem habilidade para isso. Segundo o consultor financeiro, “existem profissionais que podem te orientar a isso, COM UM OLHAR DE FORA, MAIS AMPLO, ISENTO DE EMOÇÕES E IMEDIATISMO e que podem te dar orientações cruciais para essa nova fase”.

NÃO TENHA VERGONHA DA SUA SITUAÇÃO

Se você tem filhos, é importante contar com a ajuda de toda a família. “EXPONHA PARA AS CRIANÇAS O QUE ESTÁ ACONTECENDO, E ATÉ PARA OS AMIGOS SE NECESSÁRIO, para que entendam que se houver uma diminuição nas saídas (cafezinho, happy hour, etc.) ou cortes em casa, eles vejam que não há nada anormal. E não há vergonha nenhuma nisso, NADA MELHOR QUE DEIXAR BEM CLARO QUE ESTÁ COMPROMETIDA COM O BEM-ESTAR FAMILIAR”, destaca Santos.