É muito comum que as mamães optem por manter os bebês em seus quartos por medo de que algo aconteça durante a noite. No entanto, essa nem sempre é a melhor alternativa: de acordo com um novo estudo, após os seis meses a prática pode levar a menor tempo de descanso para os pequenos.

 

O trabalho, que foi realizado pela Penn State College of Medicine – nos EUA  –  e publicado na revista “Pediatric”, analisou 230 mulheres e seus bebês, e descobriu que aqueles que dividem o quarto dormem 40 minutos a menos por noite. Vale lembrar que a frequência incorreta de descanso está relacionada à obesidade na vida adulta e a problemas emocionais e de comportamento.

Bebê se acostuma com a interação com os pais e fica com dificuldade de pegar no sono sozinho

Segundo os condutores da pesquisa, essa redução acontece porque as crianças pequenas têm episódios curtos de interrupção do sono no meio da noite, e os pais que estão por perto tendem a responder a esse despertar ao invés de deixa-las adormecerem sozinhas. Isso faz com que se acostumem a ter a atenção e interação com os adultos antes de voltarem a descansar, perdendo a habilidade de fazerem isso sozinhas – um ciclo vicioso que pode se estender até os dois anos e meio.

Vai continuar dividindo o quarto? Então a dica é evitar pegar a criança quando ela acordar sem motivo aparente, permitindo que ela aprenda a se acalmar e voltar a pegar no sono sem interferência.