Consultor financeiro diz que evitar a compra por impulso e saber quais são seus vícios ajuda muito

Você tem consciência que não pode mais gastar, tem altos planos para o dinheiro que quer economizar, mas quando percebe, se vê com pouca grana e cheia de contas. É, controlar os gastos exige um pouco mais que colocar na ponta do lápis tudo o que se compra. O segredo está no modo COMO VOCÊ SE COMPORTA para não se perder no meio do caminho até seu objetivo. Com as dicas abaixo, tudo pode ficar mais fácil. Anote!

EVITE HOBBIES OU PASSATEMPOS QUE ENVOLVAM GASTOS

Se você estiver entediada ou mesmo animada para dar um passeio na rua, mas sabe que não pode (ou deve) gastar com isso, evite lugares em que tem certeza que não vai sair sem ao menos uma sacolinha. “Mesmo não querendo comprar você vai acabar ficando tentada. Principalmente se está se começando a buscar um maior controle, existe uma grande chance de não resistir. Por exemplo: quando você está fazendo dieta não vai a uma loja de doces ou ao seu restaurante favorito, não é?”, diz LUCAS RADD, CONSULTOR FINANCEIRO da WG Finanças Pessoais.

Mesmo que você olhe e pense que não pode viver sem aquele produto, respire, ponha de volta e pense melhor antes de comprar. Foto: Jacob-Wackerhausen/istock

MESMO QUE VOCÊ OLHE E PENSE QUE NÃO PODE VIVER SEM AQUELE PRODUTO, RESPIRE, PONHA DE VOLTA E PENSE MELHOR ANTES DE COMPRAR. FOTO: JACOB WACKERHAUSEN/ISTOCK

NUNCA COMPRE NADA NA PRIMEIRA OLHADA

O impulso deveria ser algo tão eficaz para se fazer dinheiro quanto para se gastar, não acha? Pois é, MAS NÃO É, então, se gostou de alguma coisa não a compre de primeira. “PARE, DÊ UMA VOLTA, TALVEZ ATÉ VOLTE PARA CASA. Se no dia seguinte você ainda estiver querendo muito ou julgando que realmente precisa daquilo, aí sim faz a compra. Uma coisa que qualquer vendedor sabe é que vendas são instintivas e ‘de momento’. Quando estamos na cena da compra nosso julgamento fica tumultuado pelas emoções e nem sempre sabemos bem o que queremos”, esclarece o especialista.

TRACE UMA META

E tome todas as suas decisões baseando-se nela. Quando você quer economizar, toda vez que gasta em excesso, faz isso quando esquece de onde quer chegar. Lucas explica algo importante sobre isso: “existem METAS NÃO DECLARADAS, como planejar um casamento, uma festa, uma viagem, etc. Se nos perguntarem, sabemos dizer o que pretendemos, mas se nos perguntarem o que estamos fazendo para alcançá-las, já não temos uma resposta tão clara! Precisamos ASSUMIR UM COMPROMISSO COM NÓS MESMOS para que a cada tentação de consumo, saibamos dizer ‘NÃO’ por estarmos focados nos nossos objetivos maiores”.

Aquele cafézinho diário com as amigas, que você não abre mão, pode sair mais caro do que você imagina. Foto: lorenzoantonucci/istock

AQUELE CAFÉZINHO DIÁRIO COM AS AMIGAS, QUE VOCÊ NÃO ABRE MÃO, PODE SAIR MAIS CARO DO QUE VOCÊ IMAGINA. FOTO: LORENZOANTONUCCI/ISTOCK

DESCUBRA SEUS PRINCIPAIS VÍCIOS

Se você consegue economizar direitinho em diversos aspectos, cuidado com aquilo que mais ama, seus vícios. Eles podem acabar QUEBRANDO ESSE EQUILÍBRIO. Radd exemplifica para deixar esse ponto bem claro: “Já tive muito clientes que repetidamente enfatizavam que não tinham carros do ano, moravam de aluguel, compravam em grandes supermercados para economizar e mesmo assim, nunca sobrava dinheiro. Quando eu fazia um diagnóstico das finanças, descobria que tudo era verdade mas eles tinham o hábito de comer fora de casa. Quando calculávamos, víamos que a conta dessa pequena regalia fechava em mais de R$ 1500 em vários casos. Isso mostra que NÃO É PORQUE ECONOMIZAMOS EM VÁRIOS PONTOS DA NOSSA VIDA QUE PODEMOS NOS DESEQUILIBRAR TOTALMENTE EM OUTROS. Cada um possui um ‘PONTO FRACO’ que pode ser capaz de desestruturar toda nossa vida financeira”.

VIVA SUA VIDA E NÃO A DOS OUTROS

É comum se comparar com as pessoas que nos rodeiam, sejam elas da família, trabalho ou círculo de amizades. No entanto é preciso lembrar que CADA UM POSSUI PECULIARIDADES. Não é porque sua colega de trabalho gasta muito, que você vai atrás. “Pode ser que o cônjuge dela tenha uma receita maior ou mesmo que ela esteja super endividada e você não saiba. Além de fazer muito mal para as finanças, esse tipo de hábito funciona como um veneno para a AUTOESTIMA e para as RELAÇÕES SOCIAIS”, explica o consultor financeiro.