Quando o assunto é é emprego, seja para buscar ou se manter nele, muitos profissionais estão em constante tentativa de evolução e alcance das qualidades que o mercado mais procura. Como sempre, tem gente que até as possui, mas perde a mão, e o que era para ajudar pode acabar atrapalhando. Quer desviar dessa cilada? Confira!

 

Ter iniciativa

A proatividade é muito admirada em diversas áreas da vida, inclusive no mercado de trabalho. “Mas querer ter iniciativa demais pode fazer você passar por inconveniente, chata, alguém que quer ‘se mostrar’, bajuladora, etc. Isso pode gerar um sentimento negativo nos colegas de trabalho e até mesmo no seu superior. Sendo assim, seja polida, pergunte se há espaço para que você atue naquela situação, dizendo que está disposta a ajudar. Será muito melhor visto”, diz Ana Maria de Freitas, psicóloga, consultora de RH e diretora geral do Instituo de Psicologia organizacional – IPO.

Facilidade no relacionamento e trabalho em equipe

Você sabe como existem pessoas difíceis de lidar em qualquer lugar. Já deve ter se deparado com algumas delas na vida. Por isso essa qualidade é tão requerida. “O cuidado aqui é para não acreditar que é legal demais e abusar da intimidade, com brincadeiras inoportunas, acreditar que deve sempre liderar por ser a que se dá bem com todos, ou ao contrário, fazer corpo mole pensando que vão deixar passar, afinal, você é ótima com eles”.

Controle emocional

Uma das situações mais constrangedoras é ver alguém descontrolado emocionalmente. E como o dia a dia testa seus nervos a todo instante, ter as rédeas das emoções é muito apreciado. “Agora, mais uma vez é preciso equilíbrio, senão você pode ser confundida com uma pessoa fria, calculista, ou mesmo que esconde algo”, alerta Ana Maria.

Criatividade

É muito gostoso ter uma pessoa criativa na equipe, sempre agregando com novas ideias, estimulando os demais a pensarem também. “Mas isso pode virar um problema se você acredita que só a suas ideias são boas e que é a única criativa do pedaço. É importante ressaltar que seu processo criativo precisa estar adaptado a cultura da empresa, sendo assim, tentar ser vanguardista demais dentro de um regime conservador pode não ser bem recebido”, esclarece a especialista.

Foco em resultados

Essa é uma qualidade obrigatória. Sem vontade de vencer, qual o ponto? A psicóloga chama atenção para o fato de que “isso pode ser negativo quando você faz qualquer coisa para alcançar esses resultados, e isso inclui prejudicar colegas e cometer pequenas corrupções, por exemplo. Ainda que você entregue sua demanda e isso agrade a empresa, uma vez que isso é percebido, pode gerar repulsa por parte dos colegas e sua convivência na empresa ser bem desagradável”.