Mulheres da USP se basearam no clipe de Clarice Falcão para quebrar estereótipos

Quem trabalha em áreas ainda consideradas “masculinas” sabe o quanto pode ser difícil e desafiador – e quantas situações machistas acaba tendo que ser encaradas todos os dias. E foi exatamente isso que motivou as alunas do curso de engenharia da Universidade de São Paulo a criarem um vídeo poderoso e inspirador que viralizou na internet.

Baseado no clipe de CLARICE FALCÃO da música SURVIVOR (sobrevivente, em português), o curta – que foi organizado por seis alunas e teve a participação de mais 50 estudantes em todo o seu processo – começa com uma frase que revela a falta de representatividade feminina entre os ingressantes da faculdade: AS MULHERES REPRESENTAM APENAS 27% do total de aprovados.

As jovens utilizam as cores da POLI (ESCOLA POLITÉCNICA DA USP), preto e amarelo, e pintam em seus corpos frases que escutam com frequência no campus da universidade, entre elas dizeres preconceituosos como “MAL AMADA”, “CARA DE EMPREGADA”, “INCAPAZ” e o clássico “MULHER NÃO BEBE”. O trabalho, que tem como objetivo encorajar e quebrar estereótipos, foi feito para o IntegraPoli, um evento de integração realizado por veteranos para recepcionar os calouros. Abaixo você assiste completo.