Iniciar na academia ou passar um tempo parada e voltar, traz as mesmas questões: rola aquela dorzinha, às vezes preguiça, dá uma conferida na silhueta ao lado e compara com a sua, etc. Mas nada disso pode te impedir de treinar direito e alcançar o seu objetivo, sendo assim, confira algumas dicas para esse primeiro momento ser mais tranquilo físico e emocionalmente.

Segure a ansiedade

É comum nesse início um problema bastante comum, a ansiedade, para entrar no ritmo de treinos, para adaptar a rotina e para ficar com o corpo desejado. “Nos primeiros meses, o desenvolvimento é algo bastante notável, o que faz essa ansiedade aumentar ainda mais, porém, ele acaba se tornando cada vez mais lento com o passar do tempo e isso faz com que as pessoas fiquem mais afoitas por resultados. Isto é natural, e todo iniciante deve ter cuidado para que faça uma construção bem estruturada de seu treino e de seu corpo”, orienta o personal trainer Filipe Maia, da rede de academias Reebok.

Não se compare com as outras pessoas na academia

Você chega e vê algumas pessoas já em forma, mas esquece que todas levaram um tempo para chegar ali. Por isso uma das preciosas dicas de Filipe é: “quando for malhar, evite ao máximo ficar olhando os corpos dos demais e comparar com o seu. Todos que treinam, começaram de algum ponto e certamente não tinham a silhueta de hoje. Faça o seu melhor para focar em si mesma”.

Encare a dor como sua amiga

Durante o processo inicial, ali nos primeiros dias, é comum sentir dores, mas não vá parar por isso. Maia explica que “é uma dor tardia que faz parte da rotina. Isso ocorre porque a atividade intensa causa microlesões, e já que seu corpo não estava acostumado, ele dá uma ‘reclamadinha’. Para ela passar, basta continuar a sua rotina de treino normalmente, aos poucos seu corpo se adapta”.

Vença a preguiça

O profissional tranquiliza dizendo que é possível falhar uma ou outra vez, e não se culpe por isso. “Você esta se adaptando a uma nova fase, isso requer esforço e dedicação, por isso vença a preguiça, faz parte do processo e você precisa lembrar que tem um objetivo para seguir em frente”.

Evite os horários de pico

Segundo o instrutor, “quando a academia está lotada, a tendência é ficar inibida, pensando em ir embora, e esses pensamentos podem comprometer seu rendimento. Procure saber os horários que possuem menos movimento, e tente se organizar para treinar neles. Se não for possível, supere a vergonha ou medo de parecer fraca, pois a realidade é que a maioria das pessoas está cada uma em seu mundo, e ninguém está ali para checar se sua performance vai ser boa ou não”.

Não copie os outros

Pelo simples fato de existir individualidade biológica, independentemente de quem seja, já não se deve copiar planos de exercícios, dietas e tudo mais relacionado ao treinamento. “No caso de um iniciante, isso é ainda mais importante. Uma pessoa que nunca treinou, ou que está há bastante tempo sem treinar, precisa de um processo adaptativo que é bastante singular e que deve ser totalmente individualizado, para que sejam evitados problemas maiores”, esclarece Filipe.

Preocupe-se mais com a execução do que com as cargas

Isso importa para todos, mas principalmente para os iniciantes, “que precisam melhorar não apenas a coordenação motora, mas também a consciência corporal. Altas cargas nesse primeiro momento podem ser prejudiciais, pois com isso, a execução fica comprometida. Além disso, quem não treina costumeiramente, somente ao realizar o movimento, sem tanta carga, já consegue uma malhação eficiente”, afirma o profissional.

Tenha um planejamento de médio e longo prazo

De acordo com Maia, o maior erro das pessoas que treinam, é não saber o que e onde querem chegar. “Por isso, tenha algumas metas a serem batidas, que não precisam necessariamente ser em seu corpo (por exemplo, comparecimento de treino, dieta e outros fatores importantes). Além disso, é importante ter objetivos em longo prazo, caso contrário, é muito fácil de um iniciante se perder pelo caminho e não atingir nada”.

Nem sempre suplementar é necessário

O personal trainer revela que “criou-se uma certa euforia em torno dos suplementos, o que faz com que muitos achem que seja necessário suplementar desde o início. Mas cada caso merece atenção individualizada, e no geral, um iniciante que se alimenta de maneira adequada não precisa suplementar sua dieta, principalmente nos primeiros seis meses, pois assim já consegue todos os nutrientes necessários. Mas vale ressaltar que cada caso precisa de uma análise específica, feita por um nutricionista esportivo”.