Com ou sem crise, a verdade é que ninguém gosta de ficar devendo e se pudesse, teria o nome limpinho. Mas negociar um débito não é uma tarefa simples para muitas pessoas, e se você é uma delas, anote as dicas abaixo!

 

Dívidas são preocupantes, mas é fundamental manter a calma para fazer uma boa negociação.

Não se desespere

De acordo com o consultor financeiro pessoal Fábio Henrique, da Ponto de Equilíbrio Consultoria Financeira, “a primeira dica que dou para todo mundo que tem alguma dívida é: calma! Dever não é algo de outro mundo, não é só você que deve, ainda mais em um momento em que o País passa por uma crise. Tenha calma e equilibre-se, pois só assim você vai conseguir fazer uma boa negociação”.

Não negocie nada sem saber quanto você pode pagar

“Coloque todas as suas receitas e despesas no papel, enxergue seu orçamento para ver qual a sua sobra e qual a sua capacidade de pagamento para aquela ou aquelas dívidas. Não importa o valor, se você ganha três mil reais, mas só te sobra 200, é com eles que você vai negociar essa quitação”, diz Fábio.

Tente negociar todas as dívidas de uma vez

O consultor explica que “se faz um mês que você está devendo e vai procurar o fornecedor, obviamente ele vai te cobrar todos os juros e encargos. Agora, a partir do momento em que se passaram três, quatro meses, ele começa a te ligar e te fazer propostas, que podem incluir uma redução desses juros, por exemplo”.

Mas ele ressalta que tudo depende: “se você não está precisando ficar com seu nome limpo agora, deve para seis empresas, e só uma delas está te fazendo a proposta, não compensa pagar só essa se ainda há outras pendentes. O ideal é juntar um dinheiro para tentar negociar todas de uma vez, porque, por incrível que pareça, quanto mais dívidas você tiver, melhor para negociar, já que o teu credor dá uma olhada no teu CERASA, e se ver que a dívida é só com ele, não tem mais ninguém, vai ser mais duro, pois sabe que quer limpar o nome. Agora, se ele vê que você está enrolada, vai ser mais maleável e te oferecer uma oferta melhor”.

Se você não sabe quanto deve ou quanto realmente gasta por mês, fica bem complicado negociar e quitar suas dívidas. 

Sempre saiba quanto você deve

Se o valor for 300 reais, o credor pode colocar juros altíssimos, dizer que virou quatro mil, e que ele te dá mil de desconto. É aí que você cai no ‘golpe’. “Aí, depois que o tempo vai passando, os juros já saíram e começa a cair o valor principal. Você devia 10 mil no banco, que viraram 80 mil. Aí ele te oferece 60, depois 40, depois 30, 20, e vai ter um momento em que ele vai te oferecer 8 mil, e aí sim você pagará menos do que devia. Nunca se esqueça que sempre pode estar fazendo uma contraproposta: recebeu a cartinha dizendo que deve 500? Ligue lá e diga que tem 300, em dinheiro e é o máximo que pode pagar. Muitas vezes eles não aceitam em um primeiro momento, mas anotam, e depois de um tempo ligam de novo, ‘olha melhorou um pouquinho’, mas seja firme ‘não, eu tenho 300 reais’”.

Nem tudo são flores

Segundo o consultor financeiro, um detalhe importante que é bom frisar, “é que sempre que a negociação é feita com bancos e ocorre uma perda de valor para ele, seu nome fica limpo na praça mas com uma restrição interna, ou seja, dá pra comprar em qualquer lugar, mas ali, dificilmente vai haver crédito, por que ele perdeu dinheiro com você. Isso pode acontecer também em algumas lojas de varejo. Eles negam, mas acontece, então fique atenta e consulte um especialista se necessário para se prejudicar o mínimo possível nesse processo de por seu nome limpo”.