Não é só o cansaço que pode fazer as olheiras aparecerem: as causas são variadas e até mesmo surpreendentes. “Em geral, a presença de olheiras não tem relação com doenças”, esclarece a Dra. Caroline Cividanes, dermatologista do Hospital 9 de Julho, de São Paulo. Segundo a especialista, existem, basicamente, três tipos de olheiras e eles só são identificados a partir de um exame físico detalhado.

O primeiro tipo é aquele que aparece pelo escurecimento da pele abaixo das pálpebras e, de acordo com a médica, é a causa mais comum do problema. O tratamento ideal consiste no clareamento da pele com o uso de ácidos, peeling ou luz pulsada.

O segundo, por sua vez, ocorre em pessoas que possuem a pele muito clara, sendo possível enxergar, pela transparência, os vasinhos da região – o que causa o aspecto de olheira. Segundo a dermatologista, não há tratamento para este caso, uma vez que está relacionado à constituição física do corpo do paciente.

O terceiro e último tipo, por fim, é a olheira que surge pela falta de gordura na área abaixo das pálpebras e deixa o rosto com olhos fundos e uma aparência cansada. “Está mais relacionado ao envelhecimento, processo no qual ocorre perda de gordura da região e provoca o aparecimento de um sulco no local”, explica. Neste caso, o tratamento mais eficaz, na opinião da especialista, é o preenchimento com ácido hialurônico.