Diariamente, surgem impasses, dilemas, imprevistos, dúvidas e situações difíceis na vida de todo mundo, mas você sabe dar a dimensão exata a cada um deles? Qual o tamanho de um problema? “É o mesmo de uma ideia, de um pensamento. Ele tem o tamanho que damos a ele”, diz o psicólogo José Luiz Balestrini.

De acordo com o psicólogo, o primeiro passo para conseguir ultrapassar as dificuldades de maneira saudável é aceitar a responsabilidade sobre a própria vida. Como assim? “Existe um medo em assumi-la. Jogamos a culpa do que acontece conosco para fora, no outro, no sistema. É claro que não temos total comando sobre o ambiente em que vivemos, mas temos como desenvolver controle sobre as nossas respostas ao que ele nos apresenta”

Para isso, o profissional sugere algumas dicas:

Procure tentar entender se o seu problema tem solução ou não

Balestrini sugere uma tomada de decisão pautada no bom senso com um quê de praticidade: “tem solução, ou não? Se tiver, coloque as ideias em ordem para encontrá-la. Se já sabe qual é, então o que falta é ir atrás do que é preciso para resolver a questão. E se o problema não tiver solução, se for algo que não tem mais volta, é preciso decidir como irá lidar com ele. Preocupar-se e entrar em desespero não irá resolver nada (caso haja possibilidade) e não irá te ajudar a se adaptar (caso não haja)”.

Entender o problema para saber se tem solução ou não é dar a ele um tamanho adequado.

Relativize

Às vezes comparar é uma forma de entender se o seu problema é tão grande quanto parece ser. “O tempo todo somos bombardeados por notícias trágicas e histórias de pessoas que sofrem com problemas que parecem piores do que os nossos. Sendo assim, é preciso olhar com calma e perceber que nossos problemas não são tão grandes assim se comparados com as dificuldades que outras pessoas estão passando”, sugere o profissional.

Tome decisões de cabeça fria

Não tome decisões em momentos de euforia, de desespero ou de nervosismo. “Essa é difícil, mas é saudável! Quando estamos tomados pela ansiedade de resolver logo um problema, muitas vezes fazemos escolhas precipitadas cujos resultados podem piorar ainda mais a situação. É normal que queiramos resolver logo, porém algumas vezes o melhor é esperar a poeira baixar e pensar com calma no assunto”, sugere José Luiz.

Conversar sobre a questão com alguém de sua confiança te faz pensar mais sobre ela e pode até ajudar a resolvê-la. 

Desabafe

Uma das recomendações do especialista é conversar sobre seus problemas com pessoas de sua confiança. “O simples ato de falar o que está acontecendo para alguém nos faz pensar no assunto, pois é preciso articular ideias e pensamentos sobre a questão e muitas vezes na conversa com outros, nós mesmos encontramos soluções”, diz o expert.

Peça ajuda!

É importante entender e aceitar que muitas vezes a solução só vem com ajuda. “Nossa sociedade nos ensina um orgulho sem sentido, como se fosse um grande sinal de fraqueza pedi-la. Mas não é! O problema é deixar que tudo fique ainda pior, simplesmente porque acreditamos que é absolutamente necessário resolver tudo sozinhos”, alerta o psicólogo