O que é ser inteligente para você? Geralmente, esse adjetivo é atribuído a quem se saiu bem na escola ou tem uma ótima performance no trabalho, mas hoje, o foco é em uma inteligência fundamental para se destacar na vida de modo geral: a emocional.

Segundo o psicólogo, coach e programador em neurolinguística, Andre Melo, inteligência emocional é facilmente confundida com controle emocional, mas não é a mesma coisa. “Controlar suas emoções é manter-se atenta a si e, dessa forma, evitar que elas e seus pensamentos venham como uma avalanche sobre os outros ou sobre si. Ser inteligente emocionalmente consiste basicamente no autoconhecimento para perceber o que dá início às reações emocionais e, dessa forma, não precisa se controlar, pois as situações não geram mais conflitos como antes. É preciso autoconhecimento, manter a consciência de si, de seus pensamentos e emoções, e assim utilizar o que sente a seu favor e não contra você, como acontece quando ‘explode’, por exemplo”.

 

Conheça quatro dicas infalíveis para otimizá-la e viver bem melhor:

Está irritada? Antes de expressar isso ao mundo descontando em alguém, identifique o motivo. Vai te ajudar a ser seletiva positivamente no seu comportamento com os demais. Foto: SIphotography/iStock

Evite as reações ao achar o real motivo do que te incomoda

O psicólogo acredita que essa é a chave para evitar conflitos. “Às vezes alguém fala algo simples e você já se irrita? Pergunte-se: por que estou irritada? Por que essa frase ou atitude gerou tudo isso em mim? Pode ser que encontre a origem de sua irritação nas suas próprias frustrações, em experiências passadas ou até em conflitos da infância que não foram resolvidos. Pode, inclusive, não ser algo propriamente em relação àquela pessoa (qualquer um que fosse poderia gerar esse estado), e a razão nem precisa ser profunda também, talvez seja fruto de algo ruim que aconteceu na manhã daquele dia, por exemplo”.

Aumente seu lado racional

Pense antes de (re)agir. Não precisa ser um robô e se abster de sentimentos para avaliar as situações com mais racionalidade. Usá-la como ferramenta ajuda a perceber se o conflito realmente tem a proporção que se apresenta. “Muitos são passageiros, simples de resolver (não necessariamente fáceis), e às vezes a proporção não é tão grande quanto parece. Para perceber isso é preciso olhar de forma mais racional, pois deixar apenas a emoção tomar conta dificilmente resolve problemas, e pior, pode atrapalhar ainda mais”.

Antes de se deixar estressar com quem quer que seja, veja se não é apenas o jeito da pessoa. Vai ver ela é assim com todo mundo. Foto: bowie15/iStock

Observe o outro para não se estressar à toa. Vai ver, é o jeito dele!

É comum acreditar que seu tio, sobrinho, namorado ou chefe te deixam louca ou “tem o poder de te irritar”, mas o coach tem algo a te dizer: “ninguém tem esse poder. Só ficamos irritados se permitirmos isso. Por isso, observe como as pessoas ‘funcionam’, seus hábitos, sua forma de falar, seus comportamentos. Assim fica mais fácil de compreender o outro e porque ele tem determinadas atitudes, e claro, não se irritar à toa. Quer um exemplo? Sua chefe fala com você e sempre parece que está gritando? Observe se ela não é assim com todos e em diversas áreas da vida dela. Mesmo que seja um jeito chato, você entende que não é uma questão pessoal”, recomenda o profissional.

Relacione e expresse-se bem

Em diversas áreas da vida, relacionamento é a chave do sucesso. “Seja clara com os outros sobre seus pensamentos, sentimentos e comportamentos. Às vezes, para nós algo parece óbvio, mas isso não significa que para o outro o é. Este é um dos geradores de reações emocionais mais comuns. Ninguém tem o poder de saber o que estamos pensando, então converse, esclareça, revele o real sentimento impresso ali, para evitar especulações, interpretações erradas que sempre podem gerar caos. Dessa forma, aquilo que te irritaria torna-se uma ferramenta para ser mais objetiva, transparente com as pessoas, evitando assim, conflitos futuros”, afirma Melo.