Conversa de Mãe

Após surto de microcefalia no Nordeste, Ministério da Saúde faz recomendações para gestantes

Um SURTO DE MICROCEFALIA em recém-nascidos fez o Brasil decretar emergência sanitária nacional, na última quarta-feira (11). A decisão foi tomada pelo ministro da SaúdeMARCELO CASTRO devido ao alto número de diagnósticos da anomalia no Nordeste do país. De acordo com as últimas informações divulgadas, já são 243 notificações, a maioria no mês de outubro, sendo 141 delas no estado de Pernambuco.

A instituição especula que o aumento dos casos de microcefalia tenha relação com o ZIKA VÍRUS, que é também é transmitido pelo aedes aegypti, o mosquito da dengue, por conta da coincidência dos casos.

Em entrevista do jornal O ESTADO DE SÃO PAULO, o diretor do departamento de Vigilância de Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde CLÁUDIO MAIEROVITCH afirmou, na quinta-feira (12) para que as mulheres não engravidassem agora. “Esse é o conselho mais sóbrio que pode ser dado”, disse ao veículo.

Na sexta-feira (13), o Ministério da Saúde publicou em seu site oficial orientações gerais sobre o surto. Contrariando a recomendação de Maierovitch, a instituição não afirma que gestações devam ser evitadas. “As informações estão sendo divulgadas conforme o andamento das investigações. A decisão de uma gestação é individual de cada mulher e sua família”.

As indicações para as mulheres são:

1 – Ter a gestação acompanhada em consultas pré-natal, realizando todos os exames recomendados pelo seu médico;

2 – Não consumir bebidas alcoólicas ou qualquer tipo de drogas;

3 – Não utilizar medicamentos sem a orientação médica;

4 – Evitar contato com pessoas com febre, com erupções cutâneas ou infecções;

5 – Adotar medidas que possam reduzir a presença de mosquitos transmissores de doenças, com a eliminação de criadouros (retirar recipientes que tenham água parada e cobrir adequadamente locais de armazenamento de água);

6 – Proteger-se de mosquitos, como manter portas e janelas fechadas ou teladas, usar calça e camisa de manga comprida e utilizar repelentes indicados para gestantes;

Segundo o site, na próxima terça-feira (17), será anunciado, em uma coletiva de imprensa, um boletim epidemiológico sobre os casos de microcefalia.

O QUE É A MICROCEFALIA?

A microcefalia é uma malformação congênita, em que o cérebro não se desenvolve de maneira adequada. Neste caso, os bebês nascem com perímetro cefálico menor do que o normal, que é superior a 33 cm.

A anomalia pode ser efeito de uma série de fatores de diferentes origens, como substâncias químicas, agentes biológicos (infecciosos), como bactérias, vírus e radiação. Os nascidos com a doença precisam de acompanhamento terapêutico, que podem amenizar o desenvolvimento de microcefalia, que causa déficit intelectual e atraso na fala e habilidades motoras.

Comente isso

Seu e-mail não aparecerá no comentário.

Você vai gostar