Conversa de Mãe

As mudanças na temperatura afetam mesmo a saúde? Descubra

Segundo especialista, alternância climática favorece a circulação dos vírus e, assim, maior contaminação, porém, outras crenças relacionadas a isso não têm base científica

São muitas as crenças que envolvem as MUDANÇAS DE TEMPERATURA E SEUS EFEITOS NO CORPO. Elas, no entanto, não  dizem respeito apenas às quedas no termômetro de um dia para o outro, ou em curto prazo. Quem nunca ouviu, por exemplo, que tomar algo gelado em pleno verão pode causar uma gripe ou um resfriado? Ou que pegar uma friagem depois de um banho quente pode levar a uma pneumonia? Para saber o que, de fato, apresenta base científica, o DaquiDali separou algumas delas para você. Veja abaixo:

ALTERNÂNCIAS NO TEMPO PODEM AUMENTAR A CHANCE DE CONTRAIR MAIS DOENÇAS?

De acordo com a Dra. Marina Teramae, pediatra e pneumologista infantil no Programa Saúde e Alegria do Hospital Dom Antonio de Alvarenga e autora do blog Recheio da Infância, nesses períodos pode haver sim um aumento da circulação de certos vírus, o que aumenta as chances de infecções. “As pessoas que têm rinite, bronquite, asma, podem ter mais sintomas das alergias durante as transformações bruscas e de umidade do ar. E com o aumento da inflamação das vias aéreas, podem também se infectar com mais facilidade”, ela explica.

Gripes e resfriados podem ser contraídos em função das alternâncias climáticas FOTO: thinkstock

GRIPES E RESFRIADOS PODEM SER CONTRAÍDOS EM FUNÇÃO DAS ALTERNÂNCIAS CLIMÁTICAS FOTO: THINKSTOCK

AS CRIANÇAS ESTÃO MAIS SUJEITAS A SOFREREM COM ISSO?

“Crianças muito pequenas são mais suscetíveis por estarem ainda amadurecendo o seu sistema imunológico”, diz. “A longa permanência em creches com outras eleva o risco. Uma criança saudável, normal, pode ter cerca de 10 infecções (“viroses”) por ano”.

SORVETE PODE DAR DOR DE GARGANTA, PRINCIPALMENTE QUANDO ESTÁ CALOR E O CORPO ESTÁ SUADO?

Segundo ela, o fato não causa nenhuma infecção. “Pode provocar uma tosse leve quando ingerido, como reflexo do corpo, e devido à baixa temperatura”.

TOMAR BANHO DE CHUVA, DE MANGUEIRA OU GELADO, MESMO COM A TEMPERATURA RELATIVAMENTE ALTA, PROVOCA GRIPE?

De maneira alguma. Conforme a profissional, isso é um mito, pois a gripe é uma infecção por vírus.

A FAMOSA “FRIAGEM” PODE OCASIONAR UM PROBLEMA MAIS SÉRIO, COMO PNEUMONIA?

Da mesma forma que na resposta acima, a pneumonia é desencadeada por vírus, bactérias. Não há esse tipo de relação.

Tomar sorvete pode provocar leve tosse mas nada como uma gripe - transmitida apenas por vírus FOTO: thinkstock

TOMAR SORVETE PODE PROVOCAR LEVE TOSSE MAS NADA COMO UMA GRIPE – TRANSMITIDA APENAS POR VÍRUS FOTO: THINKSTOCK

SAIR DE UM AMBIENTE MUITO QUENTE PARA UM MUITO FRIO (COMO UMA LOJA COM AR CONDICIONADO BEM GELADO) LEVA A RESFRIADOS?

Também não há associação: “resfriado é uma infecção”, afirma.

PASSAR DE UM TEMPO ÚMIDO PARA UM MAIS SECO PODE AUMENTAR AS POSSIBILIDADES DE PEGAR CONJUNTIVITE?

“A conjuntivite é transmitida por contato com secreções. É preciso estar perto de quem teve a doença para pegá-la. Permanecer em ambiente fechado com bastante gente pode favorecer o contágio”, a especialista enfatiza.

MUDANÇAS NA SAÚDE

O que AJUDA MESMO A ENFRENTAR AS INTEMPÉRIES CLIMÁTICAS É O FORTALECIMENTO DA IMUNIDADE. Os filhos em casa, inclusive, devem refrear o convívio direto com possíveis adultos contaminados. “Se ESTÁ GRIPADO, USE MÁSCARA até sumirem os sintomas”. A higienização das mãos e até do nariz dos pequenos com soro fisiológico diariamente são atitudes que os responsáveis precisam ter sempre. “Se eles adoecerem, intensifique-as, assim como inalação”, a Dra. Marina avisa. “Evite compartilhar copos, talheres e, ainda, evite o uso de chupetas e bicos (quando eles respiram mais pela boca que pelo nariz, o ar chega gelado, e com partículas à garganta e aos pulmões – o que pode aumentar o risco de infecções e crises alérgicas)”, ressalta.

“Ofereça bastante água, uma alimentação saudável, com alimentos frescos. Uma CRIANÇA BEM NUTRIDA TENDE A FICAR MENOS DOENTE“, enfatiza. “E faça acompanhamento regular com seu pediatra”.

Comente isso

Seu e-mail não aparecerá no comentário.

Você vai gostar