Amor e Sexo

Casal que vive com o vírus do HIV pode transar sem camisinha?

Especialista explica os riscos e os cuidados que um casal soropositivo deve ter na hora de uma relação sexual, mesmo quando o vírus está indetectável.

O vírus do HIV ainda é um assunto que gera diversas dúvidas e assombra muitas pessoas. Uma leitora do Delas, por exemplo, vive com o vírus e quer saber se ela pode ter relações sexuais com outra pessoa que também possui HIV. Ela também quer saber se é possível descobrir há quanto tempo a pessoa vive com o vírus.

O coordenador de Assistência do Programa Municipal de DST/Aids de São Paulo, Robinson Fernandes de Camargo, diz ao Delas que duas pessoas que vivem com o vírus do HIV podem ter relações sexuais normalmente, mas não devem deixar o preservativo de lado, isso porque o HIV possui variedades genéticas que podem agravar o caso de uma pessoa já infectada.

O vírus pode ser classificado em dois tipos principais: HIV-1 e HIV-2. Além disso, possui diversos subtipos, como B e C, também apresenta formas recombinantes circulantes e formas recombinantes únicas. Toda essa diversidade viral impacta no diagnóstico, no monitoramento e no tipo de terapia”, explica Robinson.

Para simplificar, o especialista diz que isso significa que, mesmo que uma pessoa já esteja vivendo com o HIV, ela pode ser reinfectada, piorando, desta forma, sua carga viral (quantidade de vírus no corpo). “Também há possibilidade de se reinfectar com um vírus diferente por formas recombinantes e por vírus que são resistentes aos antirretrovirais.”

Fora tudo isso, Robinson alerta que a camisinha também previne outras infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) que podem ser bem prejudiciais para quem está com o sistema imunológico vulnerável.

Cuidados que o casal que vive com o vírus do HIV deve ter

O tratamento do vírus do HIV não deve ser abandonado e isso é importante para manter a carga viral indetectável
shutterstock

O tratamento do vírus do HIV não deve ser abandonado e isso é importante para manter a carga viral indetectável

Quem vive com o HIV não deve deixar o tratamento de lado e, ao descobrir, ele deve ser iniciado o quanto antes. O especialista enfatiza que é fundamental manter a terapia antirretroviral (TARV), pois ela tem o intuito de diminuir a quantidade de vírus no corpo até não aparecer mais no exame de sangue. Quando se chega nesse ponto, a pessoa se torna indetectável.

“As pessoas que estão há pelo menos seis meses indetectáveis se tornam intransmissíveis para o HIV, ou seja, não transmitem o vírus”, comenta Robinson.

Vale ressaltar que quando há um uso irregular dos antirretrovirais o vírus só fica mais resistente e se uma pessoa possui um vírus que seja resistente a algum TARV, ela pode transmitir esse vírus para os outros.

A leitora também questionou se é possível descobrir a quanto tempo uma pessoa vive com o HIV e Robinson fala que não dá para determinar isso de forma segura, pois não existe nenhum exame que especifique tal informação.

Camisinha sempre

A camisinha previne o vírus do HIV e as infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), além da gravidez indesejada
shutterstock

A camisinha previne o vírus do HIV e as infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), além da gravidez indesejada

A camisinha é uma forma segura de prevenção que é distribuída gratuitamente em diversos serviços de saúde. Além do HIV, esse preservativo evita o contato com outras infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), como sífilis e gonorreia, e ainda previne a gravidez não planejada. Vale lembrar que o uso da camisinha também é recomendado no sexo oral e no sexo anal.

Tem dúvidas sobre sexo, sexualidade ou posições sexuais ? Entre em contato conosco pelo   sexo@igcorp.com.br  e nós traremos um especialista para respondê-la com sigilo total, assim como nesta reportagem sobre o vírus do HIV  .

 

Comente isso

Seu e-mail não aparecerá no comentário.

Você vai gostar