Carreira & Finanças

Como lidar com as perguntas clichês da entrevista de emprego

Profissional ensina a lidar com questões como pretensão salarial e principais defeitos

Entrevista de emprego é um momento delicado e cheio de indagações que você não sabe se são pegadinhas ou não. Para te ajudar, o DAQUI DALI conversou com uma psicóloga, coach e com muita experiência em RH, para dizer quais são as perguntas mais clichês e como você as responde da melhor forma.

Antes de tudo, a PSICÓLOGA E COACH ADRIANA SEVERINE destaca que “apesar da atual crise e alta taxa de desemprego, os candidatos também estão avaliando as propostas de trabalho. Por isso é muito importante ser transparente, educada e objetiva em suas respostas. Você pode estar em uma situação financeira ruim,  em um trabalho que não gosta, MAS SÓ CRIARÁ UM NOVO PROBLEMA SE ENTRAR EM UMA NOVA EMPRESA QUE NÃO TENHA SEU ‘PERFIL’, pois  em pouco tempo (ou não) terá aguentado ou poderá ter sido desligada. Desse modo, ficará na mesma situação que está hoje, com outro agravante que é explicar ‘por que não ficou mais tempo que o período de experiência no último emprego?’”.

Agora, fique ligada quando te perguntarem:

Foto: rilueda/istock

NÃO MENTIR É O JEITO CERTO DE NÃO SE ENROLAR NAS PRÓPRIAS PALAVRAS. FOTO: RILUEDA/ISTOCK

POR QUE VOCÊ SAIU DO ÚLTIMO EMPREGO? OU POR QUE VOCÊ QUER SAIR?

SE ESTIVER DESEMPREGADA – Seja honesta, mas polida. Não fale que houve problemas com seu chefe e não seja muito vaga. “Se houve uma redução de funcionários, explique o momento que a empresa estava passando com a crise. Tenha uma informação de porque você foi desligada e a explique de forma, tranquila, objetiva e verídica. Há grandes chances da empresa que você está fazendo o processo seletivo tirar referências suas, e se houver mentira, com certeza você será desclassificado”, orienta Adriana.

SE ESTIVER TRABALHANDO – seja bem objetiva ao dizer o que você vê de mais interessante nessa proposta de trabalho. “Para isso, é preciso ir para entrevista conhecendo um pouco sobre a empresa, assim pode dizer que se identifica com os valores (mas terá que mencionar quais são), explique o que te chamou a atenção na vaga (fale sobre as atividades, desafios que acredita que terá, mas nunca diga que o motivo é o salário e os benefícios , pois passa a impressão de que ‘quem pagar mais, leva”, esclarece a profissional.

Dizer que "perfeccionismo" é o seu defeito é uma das piores respostas para se dar. Foto: SIphotography/istock

DIZER QUE “PERFECCIONISMO” É O SEU DEFEITO É UMA DAS PIORES RESPOSTAS PARA SE DAR. FOTO: SIPHOTOGRAPHY/ISTOCK

QUAIS SÃO SEUS TRÊS MAIORES DEFEITOS?

Novamente não dê respostas ambíguas como a clássica “sou muito perfeccionista porque gosto de tudo muito certo”. Perfeição não existe e se fosse possível, não seria defeito e sim qualidade. Segundo Severine, “a melhor forma de responder é buscar a verdade em você, DESDE QUE NÃO TE COMPROMETA  PROFISSIONALMENTE. Aqui é importante ter muitas informações sobre a companhia e o ambiente de trabalho. Algumas respostas podem ser:

Se a empresa e mais aberta, flexível , sem muitos controles com mais liberdade de atuação, você pode mencionar que você gosta de entender bem o que terá que fazer “e que essa postura pode desagradar algumas pessoas já que questiona muito até entender suas tarefas. Mas deixe claro que faz isso para não cometer erros e isso pode ser chato se o colega de trabalho não achar apropriado explicar o contexto geral”, afirma a especialista.

Se seu perfil é mais reservado, pode entrar também como defeito. “Mas não fale que é tímida ou introvertida, a palavra é reservado. ‘Não gosto de conversar muito sobre mim durante o horário de trabalho, mas durante o almoço ou na happy hour por exemplo, sou mais sociável. Interajo bem, mas durante o expediente acabo não participando de muitas conversas pessoais e pareço ser muito séria”, exemplifica Adriana.

Foto: Ingram-Publishing/istock

UM DOS MAIORES MEDOS É RESPONDER “QUAL SUA PRETENSÃO SALARIAL?”. FOTO: INGRAM-PUBLISHING/ISTOCK

QUAL SUA PRETENSÃO SALARIAL?

Há uma dificuldade em responder isso, achando que se falar mais do que a empresa paga, você não será contratada, e se falar menos, te pagarão menos. “Então fica uma luta! O selecionador te forcando a dar um número e você querendo que ele fale (a maioria das empresas no Brasil acham que só devem falar do salário e benefícios depois de você ter sido aprovada, o que eu discordo, já que essas informações precisam ser claras no início do processo, para poder escolher se quer investir seu tempo nesse processo seletivo). Então TENHA SEMPRE EM MENTE UM VALOR QUE CONSIDERE ADEQUADO AOS SEUS CUSTOS, ESCOLARIDADE E EXPERIÊNCIA . Informe esse valor mas complemente que está aberta a negociar levando em conta os desafios do cargo, possibilidade de crescimento e benefícios”.

Foto: AntonioGuillem/istock

MOSTRE-SE INTERESSADA E BEM INFORMADA PARA QUE IMPRESSIONE A EMPRESA SINTA QUE VOCÊ REALMENTE QUER SER CONTRATADA. FOTO: ANTONIOGUILLEM/ISTOCK

POR QUE DEVO CONTRATÁ-LA?

Aproveite essa oportunidade para demonstrar seu conhecimento pela área, “ou se for seu primeiro emprego, demonstre que através do que já sabe (cite os mais relevantes) e de suas características pessoais (determinação, foco, resiliência, etc.), PODERÁ AGREGAR MUITO VALOR A EMPRESA, TRAZENDO BONS RESULTADOS EM POUCO TEMPO. Outra dica: mostre interesse em saber mais sobre a vaga, busque fazer perguntas interessantes e relevantes”, sugere Severine.

Comente isso

Seu e-mail não aparecerá no comentário.

Você vai gostar