Amor e Sexo

HPV pode aumentar 22 vezes a propensão ao câncer de garganta, diz estudo

Prática do sexo oral sem proteção pode levar à infecção pelo vírus

Um estudo realizado por pesquisadores norte-americanos do Albert Einstein College of Medicine é o primeiro a mostrar conclusivamente que a presença de HPV (papilomavírus humano – 16) na boca leva ao DESENVOLVIMENTO DO CÂNCER DE OROFARINGITE.

A infecção, que pode ser contraída devido a prática de SEXO ORAL SEM PROTEÇÃO, faz com que as pessoas estejam 22 VEZES MAIS PROPENSAS a contraírem a doença, potencialmente fatal. Registros de câncer de boca e pescoço eram quase que exclusivamente encontrados entre adultos acima dos 50 anos de idade; contudo, cada vez MAIS JOVENS (até os 40 anos) vêm apresentando tumores malignos nessas partes do corpo.

Para os pesquisadores desse novo trabalho, que foi divulgado no periódico Jama Oncology, os resultados sugerem que simples exames de esfregaço bucal (aqueles em que se esfrega uma haste flexível com ponta de algodão ou uma lâmina dentro da boca, a fim de coletar material para análise no microscópio) poderiam ser usados para prever o risco de alguém também desenvolver esses tipos de câncer.

Ao longo de quatro anos de estudos, FORAM AVALIADOS QUASE 97 MIL PARTICIPANTEScom algum tipo de vestígio de HPV na boca. Na conclusão final, 132 casos foram diagnosticados com câncer de cabeça e pescoço, num grupo de aproximadamente 400 indivíduos saudáveis.

O HPV É MUITO COMUMENTE ASSOCIADO AO CÂNCER DE COLO DE ÚTERO e um problema que mais frequentemente atinge MULHERES. Porém, com os holofotes sob esse novo aspecto da infecção, é necessário reforçar a IMPORTÂNCIA DO SEXO SEGURO em qualquer circunstância para evitar as DSTS (doenças sexualmente transmissíveis).

 

Comente isso

Seu e-mail não aparecerá no comentário.

Você vai gostar