Amor e Sexo

Jovens de hoje fazem menos sexo do que seus pais quando tinham a mesma idade, diz pesquisa

Embora superconectados, eles interagem menos pessoalmente

Com o CRESCIMENTO DOS SITES E APLICATIVOS DE NAMORO, é de se imaginar que os JOVENS ESTEJAM TENDO MAIS SEXO CASUAL DO QUE NUNCA, não é mesmo? A realidade, no entanto, é um pouco diferente, como mostra essa pesquisa feita pela Universidade Atlântica da Flórida (EUA), e publicada na revista “Archives of Sexual Behavior”: os chamados“MILLENNIALS” – nascidos na década de 1990 – FAZEM MENOS SEXO QUE OS SEUS PAIS QUANDO TINHAM A MESMA IDADE QUE ELES.

 

Aliás, a juventude de agora alcança uma taxa mais alta nesse sentido somente em comparação ao pessoal com data de nascimento nos anos 20. Segundo o levantamento, apesar da facilidade de comunicação e acesso aos seus mais diversos meios, 15% dos americanos entre 20 E 24 ANOS NÃO POSSUEM PARCEIROS Sexuais desde que completaram 18 anos. Os números de inativos na década de 60 eram de 6%. Entre as mulheres, então, os dados chamam ainda mais a atenção, alcançando o dobro de “ociosidade” no sexo que os homens.

Pessoas passam tanto tempo conectadas virtualmente que quase não interagem pessoalmente FOTO: thinkstock

PESSOAS PASSAM TANTO TEMPO CONECTADAS VIRTUALMENTE QUE QUASE NÃO INTERAGEM PESSOALMENTE FOTO: THINKSTOCK

Para chegarem às conclusões, os pesquisadores analisaram as constatações de um estudo social maior com cerca de 27 mil indivíduos, realizado ao longo de diferentes gerações.  Os motivos encontrados para esse declínio mais do que aparente podem ser resumidos em duas palavras: ALUGUEL E PORNOGRAFIA.

Uma BOA PARTE DESSE PÚBLICO AINDA MORA COM OS PAIS, permanecendo na casa deles até a fase adulta. A facilidade às formas alternativas de entretenimento, como filmes, televisão, etc., que também incluem o PORNÔ, SÃO POTENCIAIS DISTRAÇÕES NO CAMINHO QUE CONDUZ AO SEXO.

Fora isso, a EXPANSÃO DA TECNOLOGIA E DAS MÍDIAS SOCIAIS reduziram as oportunidades nesse sentido: PASSA-SE TANTO TEMPO ONLINE, CONECTADO VIRTUALMENTE AO OUTRO, QUE QUASE NÃO HÁ INTERAÇÃO PESSOAL.  O AUMENTO DO INDIVIDUALISMO ENTRE A GAROTADA e a pressão para se adequar ao comportamento social também entram como influenciadores.

 

Comente isso

Seu e-mail não aparecerá no comentário.

Você vai gostar