Amor e Sexo Conversa de Mãe

Mais estresse com os filhos diminui o desejo e a satisfação sexual, diz estudo

Análises ainda mostram que o lado feminino é muito mais afetado pela sobrecarga de cansaço

Se você acha que a sua VIDA SEXUAL NÃO ESTÁ TÃO AGITADA QUANTO GOSTARIA, espere até virem os filhos. Muito embora PAIS DE PRIMEIRA VIAGEM se sintam relativamente contentes com a rotina que levam nesse aspecto, conforme uma nova pesquisa da Penn State University, nos EUA, o fator que mais contribui negativamente nessa hora – e pode minar os planos de uma noite inesquecível – é a CARGA DE ESTRESSE ACUMULADA PELA MÃE.

Para chegar a essas conclusões, cientistas estudaram 169 casais heterossexuais cujos bebês estavam a caminho na época e, também, durante o ano seguinte ao nascimento deles. Logo após os seis primeiros meses de vida das crianças, os pais foram questionados sobre o que mais lhes cansavam nessa nova função. Eles tiveram que classificar, numa escala de um (discordo plenamente) a cinco (concordo plenamente) afirmações específicas como “EU PERCEBI QUE TENHO DESISTIDO MUITO MAIS QUE ESPERAVA DO MEU DIA A DIA, EM FUNÇÃO DAS NECESSIDADES DO MEU FILHO”, ou “Meu filho sorri para mim muito mais do que eu imaginava”. Passado o período de um ano, foi pedido que os mesmos participantes relatassem o quesito de satisfação no sexo, baseados na seguinte declaração: “de acordo com a vida sexual com o seu parceiro, você diria que, normalmente, ela está…”, com a mesma categorização, colocando nota de um, para nem um pouco satisfeito (a), a nove, significando muito satisfeito (a).

Vinda dos filhos e o sobre carga de estresse principalmente para a mãe influenciam na satisfação sexual FOTO: thinkstock

VINDA DOS FILHOS E O SOBRE CARGA DE ESTRESSE PRINCIPALMENTE PARA A MÃE INFLUENCIAM NA SATISFAÇÃO SEXUAL FOTO: THINKSTOCK

As mulheres foram mais propensas a avaliar positivamente essa questão, em comparação aos homens: quase 70% delas disseram estar bem realizadas nesse quesito, mesmo depois dos pimpolhos em casa, enquanto que 55% deles fizeram confirmação. “O mais interessante foi observar que o ESTRESSE SOFRIDO PELO PAI QUASE NÃO TEVE IMPACTO NO CONTENTAMENTO SEXUAL DELE MESMO OU DA MÃE”, anuncia uma das envolvidas no projeto, a estudante de doutorado Chelom E. Leavitt. Na declaração feita ao site “EurekAlert”, onde o material foi publicado, ela também conclui que a EXAUSTÃO NO LADO MATERNO PARECE SER A RESPONSÁVEL PELA DIMINUIÇÃO DO ENTUSIASMO E FELICIDADE NA CAMA.

“Quando elas acabam fatigadas pelo ACÚMULO DAS RESPONSABILIDADES DA CRIAÇÃO, chegam a SE SENTIR MENOS ATRAENTES também”, ela continua. E esse tipo de relação é interdependente: se a mãe está sob maior pressão e sobrecarregada com as funções de tomar conta da criança, não somente o desejo sexual e o prazer no ato da transa se tornam minimizados e enfraquecidos, como influenciam no comportamento do homem. Por isso que é importante a IGUALDADE NA DIVISÃO DOS AFAZERES DOMÉSTICOS e de desenvolvimento dos filhos. Assim, nem um ou o outro saem perdendo nessa história.

 

Comente isso

Seu e-mail não aparecerá no comentário.

Você vai gostar