Carreira & Finanças

Maternidade: sete orientações para voltar ao trabalho

No próximo domingo comemora-se o Dia das Mães. Aproveito a data para falar de um tema que vira e mexe vem à tona: maternidade versus carreira. Boa leitura!

No próximo domingo comemora-se o Dia das Mães. Aproveito a data para falar sobre um tema que aflige algumas mulheres: maternidade versus carreira. Acredito que é possível conciliar as duas situações, até mesmo porque, posso citar vários exemplos de excelentes profissionais que também são ótimas mães. Algumas, inclusive, ocupam cargo de gestão com desempenho inquestionável.

Ainda que eu vivencie esse cenário positivo aqui na empresa, não podemos desmerecer as mulheres que, após darem à luz, optam por se afastar do mercado de trabalho para priorizar o cuidado com a família. É uma decisão legítima e, como eu disse, trata-se apenas de uma questão de prioridade individual.

Se este é o seu caso, recomendo apenas que você planeje esse período de ausência, caso tenha a intenção de retornar às atividades em um futuro próximo. Para te auxiliar, compartilho sete recomendações:

  1. Planeje o afastamento – Não tome uma decisão tão importante por impulso. Converse com a família, com profissionais que priorizaram a maternidade e com aquelas que conciliam as duas funções. Paralelamente a isso, faça contas para entender o quanto a ausência do seu salário vai impactar no seu padrão de vida atual e se você está disposta a pagar por esse preço.
  2. Comunique a decisão ao seu gestor – Assim que tomar a decisão, chame seu gestor para uma conversa franca e exponha os seus pensamentos. Quem sabe nesse bate-papo você consiga alguma flexibilidade de horário e mude de opinião? Caso não seja possível, ofereça-se para ajudá-lo a treinar a pessoa que vai te substituir. Atitudes honestas como essas tendem a fortalecer relacionamentos e deixar portas abertas.
  3. Informe-se – Caso a opção seja mesmo se afastar, durante o período, procure se manter atualizada sobre os principais assuntos relacionados à sua área de atuação, entre outros temas relacionados à economia e assuntos gerais do País.
  4. Qualifique-se – Assim que sua rotina com o bebê permitir, participe de cursos que enriqueçam seu currículo, ainda que sejam em formato online.
  5. Seja vista – Sempre que possível, marque presença em eventos e encontros com profissionais da área. Lembre-se de que “quem não é visto não é lembrado”. E, networking vai ser muito importante no momento de retorno.
  6. Fale com as pessoas – Assim que identificar a data do seu retorno ao mercado de trabalho, deixe que parentes, amigos e contatos profissionais saibam da sua abertura para avaliar oportunidades.
  7. Planeje o retorno – Mais uma vez o planejamento entra em ação. Então, atualize o seu currículo evidenciando os conhecimentos que agregou no período de afastamento e os resultados alcançados nas oportunidades de trabalho anteriores. No lugar de sair disparando o documento para qualquer empresa, priorize aquelas com as quais se identifique e as que prezam por políticas de trabalho flexíveis, como home office, por exemplo.

Todos esses movimentos, certamente, te darão mais segurança na procura por uma nova oportunidade. O processo não é fácil, mas é possível desde que haja planejamento! Olha a palavra aqui novamente…

Aqui neste Blog, você encontra outros artigos sobre carreira, gestão e mercado de trabalho. Também é possível ter mais informações sobre os temas na Central do Conhecimento do site da Robert Half.

 

Comente isso

Seu e-mail não aparecerá no comentário.

Você vai gostar