Conversa de Mãe

Menina pinta o corpo com caneta permanente para parecer doente e não ir à escola

O plano, no entanto, não deu nada certo – e logo foi descoberto por seus pais

A imaginação das crianças é sempre muito fértil – e com a pequena Lily Schooley, de seis anos, da região de Cornualha, na Inglaterra, não é diferente. Isso porque a menina usou uma caneta permanente para pintar seu corpo todo com pequenas bolas vermelhas para parecer que estava com catapora e não ir à escola.

Segundo informações da agência Kennedy News and Media , a ideia surgiu após ela perceber que algumas de suas amigas ficaram em casa pois estavam com uma doença infecciosa. Após mais um dia de colégio, a garota chegou em casa e pediu a caneta permanente aos pais para fazer uma “lição de casa”.

Dez minutos depois, ela saiu do quarto com pintas por todo o corpo, inclusive no rosto, e disse aos pais que estava com a pele irritada e que não se sentia bem. “Eu perguntei qual era o problema e ela disse: ‘Acho que tenho catapora . Não posso ir à escola’”, conta a mãe, Charlotte.

Plano infalível não deu certo

Menina pinta o corpo com caneta permanente
A garota precisou ir à escola com as manchas feita pela caneta permanente, que ficaram sua pele por alguns dias

O plano, no entanto, não deu certo. “Eu e meu marido estávamos com dor de tanto rir, mas não queríamos deixar transparecer que sabíamos a verdade”, diz. Assim que a menina foi informada que precisaria ir ao médico para analisar a condição, ela subiu as escadas correndo para tentar se livrar das manchas na pele – e não teve sucesso.

Como usou uma caneta permanente , os desenhos não sairam com facilidade. “Lily desapareceu rapidamente e subimos para encontrá-la. Ela estava estava esfregando seu corpo com uma flanela”, ressalta.

“Nós usamos sabonete, água quente, óleo de bebê e lenços umedecidos com álcool e nada fazia efeito”, continua. A mãe conta que passou spray de cabelo durante quatro dias até conseguir remover as pintas .

No dia seguinte à “arte”, a garota precisou ir às aulas com as pintinhas avermelhadas ainda aparentes e explicar às colegas que não estava com nenhuma doença. A menina ficou constrangida com a situação e achou que todos os colegas iriam rir dela. “Tivemos que mandá-la com uma carta para explicar que não era contagioso e que não havíamos conseguido tirar as marcas”, diz.

“Todo mundo estava olhando para ela como se ela estivesse com algum problema. Tivemos que dizer a todos que não. Lily ainda teve aula de educação física e precisou usar shorts e camiseta de manga curta. Os professores acharam hilário. Sempre rimos muito com ela. Nossa filha é muito espirituosa”, finaliza a mãe.

 

Comente isso

Seu e-mail não aparecerá no comentário.

Você vai gostar