Amor e Sexo

NÃO CAIA NESSA! CINCO FANTASIAS DOS FILMES ROMÂNTICOS QUE PODEM SABOTAR A SUA RELAÇÃO

As comédias românticas podem ser ótimos passatempos e arrancar muitos suspiros, no entanto, nem sempre elas são boas inspirações quando o assunto é amor: com enredos que fogem da realidade, a maior parte das histórias trazem lições que você deveria riscar do repertório. Descubra cinco noções que vem dos filmes e que podem sabotar o seu relacionamento.

 

O amor pode mudá-lo 

Esse é um verdadeiro clássico dos filmes românticos: o gato era um tremendo de um cafajeste – daqueles que você jamais cogitaria namorar – e se transforma no homem ideal ao se apaixonar. Isso, no entanto, dificilmente vai acontecer. “A pessoa nunca muda pela outra, embora ela possa mudar pela relação que estabeleceu. Você pode se prejudicar muito se começar um relacionamento com a expectativa de que é capaz de promover essa transformação se ele se apaixonar. As pessoas mudam por elas mesmas e porque elas veem que vale a pena fazer isso, então as coisas podem acabar andando juntas e dar essa sensação. Lembre-se que nada acontece de uma hora para outra, e muitas vezes existe uma estrutura de personalidade que já está enraizada, então ou você aceita aquele traço e vive bem com isso, ou desiste de tentar transformá-lo”, revela a psicóloga e terapeuta sexual Priscilla Junqueira.

Os opostos sempre se atraem

Vários filmes mostram casais completamente diferentes se complementando e tendo o relacionamento aparentemente perfeito, algo que, na vida real, pode dar muito errado. “A princípio as diferenças podem ser apaixonantes, e muitas vezes a pessoa que é certinha vê na que é mais solta a possibilidade de ser tirada do comum até por uma vontade inconsciente que ela tem de mudar, mas em longo prazo não costuma dar certo. Eu costumo dizer que duas metades não se completam, você precisa ser inteira e se apaixonar por outra pessoa inteira. Para um relacionamento durar os valores precisam ser parecidos. Se você busca alguém muito diferente toda vez que se envolve é bom tentar entender o motivo e se não é na verdade uma vontade de ser assim e de se transformar um pouco – se essa é a razão, é melhor fazer isso sozinha”, aconselha.

O mito do homem perfeito

Ele é amigo, compreensivo, carinhoso, charmoso, toma atitudes românticas e até corre atrás da protagonista pelo aeroporto com um anel no bolso e flores nas mãos – e logo te faz questionar todo o comportamento do seu par e sonhar com alguém que seja igual. “Isso traz aquela noção do amor romântico, do príncipe no cavalo branco e a frustração é tremenda, porque não existe. Na verdade, talvez seja melhor encontrar um sapo e vê-lo se transformando no seu príncipe, do que ter um príncipe que com o tempo vai se transformar em um sapo. O amor é algo que você vai construindo com a pessoa e ninguém é perfeito. Não é bom buscar esse personagem idealizado e ficar fazendo comparações, porque isso só traz uma dificuldade enorme em lidar com seus sentimentos. Nenhum dos dois é como se vê nos filmes e novelas, todo mundo tem seu jeito”, alerta. Se ele te trata bem e te faz feliz, é o que importa.

O sexo com a pessoa certa é incrível

Nos filmes, os protagonistas “feitos um para o outro” geralmente tem uma primeira transa inesquecível e sensacional, e muita gente acaba ficando com a sensação de que se o sexo não foi tão bom – não aconteceu o famoso “clique – é porque não vai rolar. “Esse sexo perfeito de primeira pode até acontecer, mas é muito difícil. As pessoas tem a tendência de achar que amor e sexo são a mesma coisa, quando na verdade são distintos. A intimidade diz muito sobre o quanto o sexo vai ser prazeroso, e você vai construindo a relação sexual passo a passo a medida que vai se abrindo com o outro, expondo o que gosta e entendendo as fantasias de cada um. Falar sobre o tema com o parceiro e mudar o que precisa ser ajustado é natural”, esclarece. Além disso, a verdade é que ninguém tem bola de cristal, e dificilmente o gato vai te dar um prazer enorme automaticamente. O jeito? Ter uma comunicação aberta e guia-lo.

Quando “é para ser” o amor acontece rápido

Você vê aqueles casais super apaixonados nas telas e fica se perguntando quando o seu namoro vai virar casamento? Então é melhor parar com isso, afinal, casamento não é apenas felicidade e a decisão deveria ser tomada com os pés no chão: “Isso pode se tornar um problema porque você fica impressionada com aquilo e pode achar que as relações ideais deveriam ser desse jeito, tudo muito rápido e que isso é uma prova – ou medida – de amor. Cada pessoa tem seu tempo e temos que ver se a arte condiz mesmo com o que a gente acredita. É preciso ter autoconhecimento para achar aquilo bonito, mas não sair querendo aplicar isso na vida real. Tenha os pés no chão, porque é melhor se conhecer de verdade e ter a certeza do que quer antes de realmente apressar as coisas”.

Comente isso

Seu e-mail não aparecerá no comentário.

Você vai gostar