Carreira & Finanças

Planejar te coloca no caminho para o sucesso do seu negócio. Invista!

Algumas perguntas ajudam a direcionar o pensamento, assim como concretizá-lo

Sonhar é uma delícia, principalmente quando envolve a INDEPENDÊNCIA FINANCEIRA de ter o PRÓPRIO NEGÓCIO. Na hora de trazer isso para a vida real e TRANSFORMAR A IMAGINAÇÃO EM PLANO PRÁTICO, entretanto, a confusão e os atropelos podem começar. “No Brasil, a gente tem uma cultura de executar – 80% contra 20% de planejamento – quando, comprovadamente, o ideal é o contrário. As margens de erro de uma GESTÃO PREPARADAsão muito menores”, alerta o empresário Hugo Richard, criador e diretor executivo da Makevator Franquias.

PREPARANDO A SUSTENTAÇÃO

Para isso, ALEXANDRE PRADO, coach de carreiras especialista em economia e finanças, acredita que cinco pilares tenham que sustentar a iniciativa:

– A GESTÃO ESTRATÉGICA, aquela que visa o desenvolvimento e a execução de ações competitivas;

– A FINANCEIRA, voltada aos recursos e fluxo de caixa;

– A de RECURSOS HUMANOS, que compreende as relações humanas na organização;

– A da TECNOLOGIA, baseada na definição do sistema de informação a ser utilizado;

– O MARKETING, para lidar com os dados do mercado e facilitar o trabalho das vendas.

Planejamento e preparação são essenciais para conduzir um empreendimento FOTO: thinkstock

PLANEJAMENTO E PREPARAÇÃO SÃO ESSENCIAIS PARA CONDUZIR UM EMPREENDIMENTO FOTO: THINKSTOCK

CARREGANDO A BAGAGEM DA VIDA

Como o DaquiDali já te contou e Lucivaldo Santos, professor e diretor do Instituto Cimas de Ensino – Centro de Imagem e Saúde, frisa, o negócio deve seguir o perfil, a experiência, os valores e a cultura organizacional de quem está à frente dele. Sendo assim, o sucesso também é alcançado por meio de atitudes que levam à BOA LIDERANÇA, como oACOMPANHAMENTO CONTÍNUO e a IDENTIFICAÇÃO DE POSSÍVEIS AMEAÇAS e oportunidades, busca de diferenciais mercadológicos e estabelecimento de metas que favoreçam os resultados.

Quem tem know-how em empreender pode levar certa vantagem; entretanto, de acordo com Hugo Richard, isso não é um problema para os iniciantes, já que existem muitos cursos de capacitação, cartilhas e consultorias que oferecem serviços para facilitar essa jornada. Ele, inclusive, cita o exemplo do SEBRAE, acessível para qualquer um (seja via internet, telefone, espaço físico, entre outros).

ORGANIZANDO AS ETAPAS

A busca pelas melhores parcerias deve ser levada em consideração ao se abrir uma empresa FOTO: thinkstock

A BUSCA PELAS MELHORES PARCERIAS DEVE SER LEVADA EM CONSIDERAÇÃO AO SE ABRIR UMA EMPRESA FOTO: THINKSTOCK

“Toda iniciativa deve partir de um PLANO DE NEGÓCIOS”, fala Alexandre Prado. Tanto ele quanto Hugo Richard colocam que é possível encontrar modelos prontos para determinados segmentos – relativamente simples, que podem ser adquiridos com baixos investimentos. O plano de negócios nada mais é do que a estruturação de toda a ideia em planilhas, sistemas que montam os diferentes fatores a serem considerados. Dentre eles:

IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO: em qual segmento? Qual produto ou serviço a ser comercializado?

CHECK-LIST DE TODAS AS AÇÕES E ATIVIDADES DA OPERAÇÃO: qual é o local (pode até serHOME OFFICE) e a estrutura necessários? QUAIS SÃO OS TRÂMITES LEGAIS E A TRIBUTAÇÃO ENVOLVIDA (impostos, inclusive, de pagamento dos funcionários)?

REGRAS DE ATENDIMENTO E CONTROLES A SEREM SEGUIDOS: QUEM SÃO OS CLIENTES, onde estão e o que procuram? Análise dos concorrentes e o que eles fazem (muitas vezes, você pode elaborar algo que bata de frente com uma marca que já domina a área).

POSSÍVEIS PARCEIROS, FORNECEDORES: qual é a LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO? Quem oferece os melhores acordos e custo-benefício?

OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS: saber de que lugar está saindo e onde quer ir, contando com imprevistos que possam aparecer: quais são os problemas, riscos, métricas e saídas?

VIABILIDADE E SUSTENTABILIDADE: quanto é preciso injetar primeiramente? Há RECURSOS FINANCEIROS DISPONÍVEIS PARA MANTER A PRODUÇÃO? Existe a possibilidade de financiamentos? Como é o saldo do fluxo de caixa? O retorno do investimento está adequado? Quando terei o retorno do investimento realizado?

Com um plano de negócios definido, é muito mais fácil ter controle da logística e demanda da produção  FOTO: thinkstock

COM UM PLANO DE NEGÓCIOS DEFINIDO, É MUITO MAIS FÁCIL TER CONTROLE DA LOGÍSTICA E DEMANDA DA PRODUÇÃO FOTO: THINKSTOCK

TORNANDO O SONHO REALIDADE

A contratação de um contabilista para esclarecer dúvidas sobre como, de fato, COLOCAR A MÃO NA MASSA E “DESENCANTAR” A PARTE BUROCRÁTICA, é um caminho; afinal de contas ele se encarregará de tramitar as informações necessárias junto aos órgãos públicos como prefeitura, Receita Federal, secretarias de Fazenda, etc.

Você pode, no entanto, assumir essa responsabilidade, sendo que o primeiro procedimento éCHECAR EM QUAL MODALIDADE JURÍDICA O SEU ESTABELECIMENTO SE ENCAIXA – e isso varia conforme o faturamento anual. Para um máximo de até R$ 60 mil por ano, por exemplo, é viável entrar na categoria MEI (MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL); os tributos são fixos, com a isenção de alguns deles como Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL. Outros exemplos abrangem a Microempresa (ME), a Empresa de Pequeno Porte (EPP); e as sociedades, como a limitada, anônima, em nome coletivo, cooperativa, e por aí vai.

Depois, vem a ESCOLHA DO NOME QUE VOCÊ QUER DAR À EMPRESA, A ELABORAÇÃO DO CONTRATO SOCIAL, os registros (principalmente na Junta Comercial), OBTENÇÃO DO CNPJ(Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica – que você passará a ser), inscrição municipal e estadual e cadastro na previdência social (para ter sua aposentadoria garantida). Parece bastante – e muitos dirão que é! O esforço, para Hugo Richard, mesmo com todas as dificuldades, vale a pena no final. Basta querer que o sonho, realmente, se torne uma realidade!

 

Comente isso

Seu e-mail não aparecerá no comentário.

Você vai gostar