Conversa de Mãe

Segundo estudo global, homens estão cada vez mais ativos na criação dos filhos

As opiniões são muito diferentes, mas o mundo está menos pior nesse aspecto do que se imagina

Parece que os ventos estão mudando, mesmo. Um novo estudo, de alcance global, acaba de concluir que os homens estão muito mais participativos na criação dos filhos. Isso acontece na sua casa ou você tem percebido esse movimento em outros lares

Divulgado na última terça (2), o INSTITUTO IPSOS MORI, do Reino Unido, fez uma pesquisa online com 18.180 adultos com menos de 65 anos, de 22 países com grande diversidade cultural entre si, como ESTADOS UNIDOS, ÁFRICA DO SUL, TURQUIA, INDONÉSIA, MÉXICO, PERU E BÉLGICA. O resultado? De acordo com o artigo publicado, 69% DO TOTAL das pessoas acreditam que “OS HOMENS TÊM UMA MAIOR RESPONSABILIDADE PELA CASA E PELO CUIDADO COM OS FILHOS do que jamais tiveram”.

Índia (81%) , Argentina (79%), e Indonésia (79%) foram os países que tiveram maior índice de concordância com a opinião acima. 61% DOS BRASILEIROS TAMBÉM PENSAM IGUAL. Isso é um bom sinal, mas claro que as opiniões foram bem divergentes, levando em consideração aspectos como ECONOMIAS EMERGENTES E ESTABILIZADAS, HOMENS E MULHERES, E PESSOAS COM RELIGIÃO E ATEUS.

Foto: FamVeld/istock

CLOSE ERRADO

Russos e poloneses foram os que menos concordaram com essa maior participação dos pais na criação dos pequenos. A maioria das pessoas das nações entrevistadas também têm uma visão mais conservadora: 57% pensam que é melhor quando os pais são casados e 77% revelam que os homens não têm uma responsabilidade suficiente na criação dos filhos.

Outra lamentável descoberta é que 37% REALMENTE ACHA QUE AS MULHERES TÊM COMO PAPEL PRINCIPAL SER APENAS BOAS ESPOSAS E MÃES. Os principais países a alimentarem esse pensamento são Indonésia (76%), Rússia (69%) e Índia (64%). O BRASIL OCUPA O 5º LUGAR NO RANKING (43%) com essa mentalidade, contra 52% que discordam dela (menos mal).

Foto: puhhha/istock

No total, 58% não concordam com essa “função feminina”. A Suíça é a mais avançada nesse aspecto: 76% as enxergam como muito mais que donas de casa e mães. Claire Emes, diretora sênior do instituto Ipsos MORI, declarou que “o mundo continua dividido sobre o papel das mulheres, mas A MAIORIA NÃO ACHA QUE ELAS DEVERIAM FICAR EM CASA E TER FILHOS“.

Comente isso

Seu e-mail não aparecerá no comentário.

Você vai gostar