Carreira & Finanças

Trabalhar muito faz mal para você, dizem estudos. Descubra o porquê!

Especialistas revelam que esse comportamento acaba com sua saúde e sequer garante um bom desempenho profissional

Você costuma fazer muitas horas extras? Vira o fim de semana trabalhando? Se preocupa o tempo todo em entregar resultados e mostrar que está realizando? Fica constrangida por sair no seu horário exato de encerramento do expediente? De acordo com a Ciência, isso pode te trazer mais malefícios que benefícios, tanto na vida pessoal quanto na profissional.

Só de ler os hábitos já cima, dá para imaginar sensações como estresse, ansiedade, nervosismo e medo, que são potenciais vilões de uma VIDA SAUDÁVEL e produtiva em todos os campos. Quem consegue viver bem assim? Elas desencadeiam inúmeras doenças mentais e corporais. O INSTITUTO FINLANDÊS DE SAÚDE OCUPACIONAL acaba de divulgar um estudo que comprova o quanto esse excesso de trabalho é péssimo e esta diretamente ligado a problemas de saúde provenientes do ESTRESSE, COMO DISTÚRBIOS DO SONO, AUMENTO DO CONSUMO DE ÁLCOOL E ATÉ DEPRESSÃO.

FOTO: DRAGONIMAGES/ISTOCK

NÚMEROS ALARMANTES

O THE WORKFORCE INSTITUTE, centro de estudos sobre desempenho no trabalho dos Estados Unidos, concluiu que 81% dos trabalhadores assalariados ficam além do seu horário e 29% deles fazem, por semana, três ou mais horas extras.

Uma outra organização americana, a PROJECT: TIME OFF (do inglês, Projeto: Tempo Livre), revela que 43% dos jovens entre 18 e 35 anos, tendem a serem “mártires” no trabalho. Já no total de trabalhadores, a média é de 29%.

Um outro viés do estudo realizado pelo INSTITUTO FINLANDÊS DE SAÚDE OCUPACIONAL com americanos, europeus e australianos, mostrou que uma pessoa que trabalha 55 horas ou mais por semana, tem 13% de chances a mais de desenvolver PROBLEMAS NO CORAÇÃO em relação a quem trabalha as 40 horas semanais padrão. Esse mesmo grupo exagerado tem 33% de chances a mais de ter um AVC (acidente vascular cerebral).

Foto: RazoomGames/istock

O AGRAVANTE É QUE A MEDIDA QUE SOBEM NA CARREIRA, EXIGEM A MESMA DEDICAÇÃO AOS SUBORDINADOS. FOTO: RAZOOMGAMES/ISTOCK

MAS POR QUE ESSA LOUCURA?

Essa tendência, fortíssima entre as pessoas de 18 a 35 anos, é baseada principalmente em EGO E MUITA, MAS MUITA ANSIEDADE. “Ouvimos com frequência que os trabalhadores mais jovens são mimados e presunçosos, mas o que descobrimos é que, na verdade, eles sentem muito medo”, afirma KATIE DENIS, pesquisadora-chefe da Project: Time Off. Ela destaca que isso só gera uma mão de obra super estressada, que quando sobe de cargo, ainda replica o comportamento, cobrando esforço idêntico aos seus subordinados.

KATIE ressaltou que NÃO HÁ NENHUMA RELAÇÃO DIRETA ENTRE TEMPO DEDICADO AO TRABALHO E CRESCIMENTO NA CARREIRA OU UMA PERFORMANCE MELHOR, e declarou que “as pessoas têm um limite. Mesmo que um funcionário faça hora extra, isso não significa que ele produzirá mais do que seus colegas”. Por fim, ela acredita que metas mais claras podem evitar esse esgotamento, e deixa o questionamento: “o que será do equilíbrio entre vida profissional e pessoal no futuro se essa é a mentalidade que estamos incentivando?”.

Comente isso

Seu e-mail não aparecerá no comentário.

Você vai gostar