Arte & Cultura

Umberto Magnani morre aos 75 anos, após entrar em coma profundo

Ele foi um ator que lutou pela classe e enfrentou a ditadura num momento delicado do país.A semana segue marcada por mais uma perda no universo televisivo brasileiro. Ícone da dramaturgia desde 1965, Umberto Magnani morreu ontem vítima de um acidente vascular encefálico (AVE).
Na última segunda-feira, dia do seu aniversário, Umberto, de 75 anos, passou mal pouco antes do início das gravações da novela Velho Chico, da TV Globo, onde fazia o personagem padre Romão. Ele foi levado para o Hospital Vitória, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, e submetido a uma cirurgia, mas entrou em estado de coma profundo.
O ator, que nasceu em Santa Cruz do Rio Pardo, no interior de São Paulo, ingressou no mundo do teatro, televisão e cinema na década de 1965, acumulando prêmios como ator e produtor. Formado em interpretação pela Escola de Arte Dramática (EAD), em São Paulo, Umberto deu vida a personagens de textos e autores consagrados, como Nelson Rodrigues, João Cabral de Melo Neto, Antônio Calado e William Shakespeare.
Em Brasília, o ator Gê Martu Martuchelli, que trabalhou em alguns projetos com o artista, lamentou a perda do amigo de palco. “O teatro ficou mais pobre. Nós perdemos um grande ícone da dramaturgia brasileira. Que Deus o acompanhe; sei que um dia iremos nos encontrar”, lamenta Gê.
A vida nos palcos
Em 1977, Umberto iniciou a carreira com o espetáculo O santo inquérito, de Dias Gomes. Mas foi em 1981 que o ator teve o reconhecimento merecido com os primeiros prêmios de destaque: o Troféu Mambembe e Prêmio Molière de melhor ator por sua atuação em Lua de cetim, de Alcides Nogueira, com direção de Marcio Aurelio.
A estreia do ator na televisão, em 1973, foi marcada pelo personagem Zé Luis, na versão inicial da novela Mulheres de areia, na antiga TV Tupi. Desde essa época, o ator deu vida a inúmeros personagens em diversas novelas. Na Globo, participou de Felicidade, História de amor, Por amor, Cabocla, Alma gêmea, Mulheres apaixonadas e Páginas da vida. Também esteve em minisséries como Presença de Anita e no seriado Sandy & Júnior. Pela Rede Record, atuou em Chamas da vida, Ribeirão do tempo, Máscaras e Balacobaco.

Comente isso

Seu e-mail não aparecerá no comentário.

Você vai gostar