Conversa de Mãe

Veja os sinais de que seu filho está ficando obeso e precisa mudar de vida

Ansiedade, pouco sono e até celulite podem indicar o problema. Fique alerta!

Achar que uma CRIANÇA “GORDINHA” ESTÁ FORTE continua sendo um pensamento muito comum. “Isso, infelizmente, é uma questão cultural, principalmente de sociedades ocidentais”, diz Tamara Hamnle, especialista em Nutrição Clínica e Funcional, que fez parte do grupo de estudos sobre Metabolismo e Obesidade da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo entre 2013 e 2014. “Associá-la com saúde ainda é uma realidade em nosso país. Pais e avós acabam cedendo às vontades, por VINCULAREM COMIDA E AFETO, ou demonstração de carinho”. Quando saber, no entanto, que é preciso agir, e que umaTRANSFORMAÇÃO NO ESTILO DE VIDA do pequeno se faz absolutamente necessária?

APRENDENDO EM CASA

“A situação passa a preocupar uma vez que haja um fator mensurável – geralmente, exame de sangue ou encaminhamento do pediatra para avaliação e acompanhamento do nutricionista”, a profissional aponta. “Sem esses fatores, a família dificilmente busca ajuda, mesmo porque o COMPORTAMENTO DOS FILHOS É UM REFLEXO DO QUE É ENCONTRADO NO LAR; se é um hábito familiar, não enxergam como uma adversidade”.

Ansiedade, falta de sono e até celulite podem ser indícios de que a criança está desenvolvendo obesidade e precisa mudar o estilo de vida FOTO: thinsktock

ANSIEDADE, FALTA DE SONO E ATÉ CELULITE PODEM SER INDÍCIOS DE QUE A CRIANÇA ESTÁ DESENVOLVENDO OBESIDADE E PRECISA MUDAR O ESTILO DE VIDA FOTO: THINSKTOCK

PARA A VIDA TODA

As chances de uma criança obesa sofrer igualmente com o transtorno na adolescência e maturidade são grandes: cerca de 70% delas reside nas opções diárias e aspectos ambientais como o convívio social, a saúde emocional e psicológica, assim como a prática ou não de exercícios. “O TECIDO ADIPOSO É FABRICADO EM MAIOR QUANTIDADE NA PRIMEIRA INFÂNCIA, até os sete anos. Então, por exemplo: se ela come demasiadamente e o organismo entende que precisa armazenar, as células farão esse trabalho se multiplicando”. Ao contrário do que ocorre com um adulto, cujo organismo atua “inflando” as partículas adiposas já presentes. “O que me preocupa não é o que ela está ingerindo, mas o porquê isso está se dando de maneira exagerada. O reflexo da relação com o alimento é carregado pela vida toda”, a expert pontua. “Meu maior desafio é criar condições para que exista um entendimento de que ele não deva ser USADO PARA COMPENSAÇÕES EMOCIONAIS”.

HORA DA AÇÃO

Alguns indícios precoces podem EVIDENCIAR O DESENVOLVIMENTO DA OBESIDADE e, observá-los a tempo pode ajudar a combatê-la com mais eficiência. Veja abaixo:

Atividades físicas são essenciais para combater a obesidade na infância FOTO: thinkstock

ATIVIDADES FÍSICAS SÃO ESSENCIAIS PARA COMBATER A OBESIDADE NA INFÂNCIA FOTO: THINKSTOCK

ANSIEDADE: “um mal que atinge cada vez um número maior do público infantil e que reflete na compulsão alimentar”. Para ela, uma excelente atitude para reverter esse quadro é estar sempre atento às aflições dos pequenos e proporcionar um lugar seguro para diálogos.

COMER ESCONDIDO: “quando eles ESCONDEM A COMIDA OU GUARDAM NO LIXO PARA JOGAR FORA de casa é um rastro de que algo não está bem”, reforça. Da mesma maneira, vale observar a conduta à mesa e depois.

SEDENTARISMO: “de longe, é um dos males que AFETA DIARIAMENTE AS CONDIÇÕES FÍSICAS E MENTAIS. Criança precisa de rotina, de atividade e horários específicos. Traçar uma estratégia para criá-la trará inúmeros benefícios, inclusive, facilidade de condução do dia a dia para os cuidadores (pais, avós, etc.)”, Tamara enfatiza.

POUCO SONO: “alguns hormônios somente são liberados na corrente sanguínea à noite, com o sono profundo. É o caso do GH, responsável pelo crescimento. Se não há hora de dormir e acordar, ou pouco sono, isso pode ser comprometido e, consequentemente, DESENCADEAR UMA DESCOMPENSAÇÃO METABÓLICA, podendo levar à obesidade”, ela explica.

Alimentação das crianças é um reflexo dos hábitos dos pais FOTO: thinkstock

ALIMENTAÇÃO DAS CRIANÇAS É UM REFLEXO DOS HÁBITOS DOS PAIS FOTO: THINKSTOCK

CELULITE: engana-se quem pensa que os temíveis furinhos só acometem “gente grande” . “CELULITE SIGNIFICA INFLAMAÇÃO. E um corpo inflamado é sintoma de problemas”, ressalta.

CONSEQUÊNCIAS IMEDIATAS

Em função do sobrepeso, a garotada pode apresentar COMPLICAÇÕES COMO DIABETES, HIPERTENSÃO, COLESTEROL ALTO, fadiga em excesso, entre outras. “Geralmente, o tratamento inicia com a mudança de conduta dos pais. O exemplo é imperativo”. PROIBIÇÕES PODEM OCASIONAR TRAUMAS FUTUROS e piorar toda a conjuntura. “Dentro do consultório fazemos acordos e combinamos com o pequeno, gerando um âmbito seguro e estabelecendo confiança. A dica seria ENTENDER O UNIVERSO DO FILHO e começar uma intervenção terapêutica que indicasse um caminho alternativo, sem comida, mas com muito carinho, respeito e rotina”.

 

Comente isso

Seu e-mail não aparecerá no comentário.

Você vai gostar