Carreira & Finanças

Você ama o que faz? Veja os países com as pessoas mais felizes no trabalho

Levantamento mostra que o mais importante de tudo é equilibrar a vida pessoal e a profissional para ter mais satisfação na hora de trabalhar

Pode-se dizer que o finalzinho da semana é sempre bom para fazer um balanço de como foi a rotina no trabalho e avaliar o quanto se está feliz com ele, não é mesmo? Embora haja certaTENDÊNCIA DE RECLAMAR DO QUE SE FAZ (#QUEMNUNCA?), um levantamento feito pelo grupo francês Edenred – que oferece soluções de gestão globalmente – mostrou que aMAIORIA DAS PESSOAS ESTÁ SATISFEITA COM OS SEUS PRÓPRIOS EMPREGOS. Inclusive, o Brasil ocupa a 5ª posição nesse ranking, com 77% dos entrevistados avaliando positivamente tal questão.

No total, 14 mil funcionários em 15 países opinaram sobre o assunto com base nos seguintes pilares: atmosfera em que se está inserido, reconhecimento advindo dos superiores e emoção, no sentido de sentir prazer em se dirigir à empresa logo de manhã, interesse no que se realiza e confiança no futuro da carreira. De maneira geral, a Índia conseguiu os maiores resultados desse balanço, com 88% dos indivíduos se sentindo positivos com relação ao trabalho. Os últimos da lista foram os japoneses – acredita-se que isso seja em função de uma CULTURA CORPORATIVA QUE EXIGE, INCANSAVELMENTE, JORNADAS DE LONGAS HORAS (o que acaba levando a casos de morte por excesso de trabalho, conhecidos porKARO-SHI!).

Ranking sobre satisfação no emprego FOTO: Reprodução/Edenred-Ipsos Barometer

RANKING SOBRE SATISFAÇÃO NO EMPREGO FOTO: REPRODUÇÃO/EDENRED-IPSOS BAROMETER

Os brasileiros consideraram o fator emocional como parte principal desse contentamento, ou seja, por aqui os itens ligados ao bem-estar, gosto pelas próprias tarefas e visualização clara de onde se pode chegar têm muito mais peso. Os países com os índices mais equilibrados entre todas as categorias foram a Espanha, Reino Unido e Estados Unidos, embora os pesquisadores tenham constatado que os ambientes de trabalho por lá não foram marcados como tão empolgantes assim.

Na Bélgica, França e Alemanha, as respostas mostraram que ainda FALTA MAIS RESPEITO E APRECIAÇÃO POR PARTE DOS GERENTES ou do quadro de direção das companhias, o que afeta bastante a felicidade no momento de se trabalhar. Ao que parece, o BALANÇO ENTRE A VIDA PESSOAL E O TEMPO DEDICADO PARA GANHAR DINHEIRO foi assinalado como importante por todos os participantes – e disso é preciso não esquecer.

 

Comente isso

Seu e-mail não aparecerá no comentário.

Você vai gostar